Previsão do Tempo

RUSSAS

26ºC

NOTÍCIAS / CEARÁ

CE já quer garantir um protocolo de intenções do hub

Óticas Diniz

Diário do Nordeste

04/06/2016

Enviar por e-mail
Imprimir notícia

Há mais de um ano na disputa para tornar-se a sede do hub (centro de conexões) da Latam no Nordeste, Fortaleza foi, segundo fontes próximas do governo estadual, recomendada diretamente pela presidente Dilma Rousseff à CEO da TAM, Cláudia Sender, e ao presidente da Latam, o chileno Henrique Cueto. No entanto, a menos de um mês para a provável decisão da companhia aérea, e sem o apoio do governo federal, Estado e Prefeitura apostam todas as fichas no ambiente de negócios que criaram para vencer Natal e Recife, e buscam assinar um protocolo de intenções com a companhia.

Ao desenvolver uma legislação e uma série de incentivos fiscais (estaduais e municipais) benéficas a qualquer empresa interessada em implantar um hub no município e sem medidas sequer parecidas nas outras duas cidades nordestinas que competem pelo equipamento, o secretário da Infraestrutura, André Facó, disse ter conseguido elaborar o texto em conjunto com técnicos da multinacional.

"Um protocolo de intenções entre o governo e a Latam estabeleceria os compromissos de cada uma das partes para, no caso da implantação, dizer quais as responsabilidades de cada um. Esse é o instrumento que falta para nos colocar bem diferenciados comparado aos outros estados", afirmou Facó, destacando a "transparência e a confiança que o protocolo representa para o negócio". O documento, segundo o secretário revelou com exclusividade ao Diário do Nordeste, deve ser assinado até o fim deste mês, o que marcaria mais um elo entre o Ceará e a companhia aérea.

Preparados para adiamento

A assinatura pelas partes, de acordo com a expectativa de Facó, deve acontecer mesmo que a Latam adie mais uma vez a data de escolha, como fez no fim do ano passado. Inclusive, esta possibilidade é considerada pelas pastas estaduais envolvidas na negociação.

O secretário do Turismo do Estado, Arialdo Pinho, observa que pode ser mais estratégico para a Latam decidir se deve mesmo optar por Fortaleza após a definição de quem será o administrador do Aeroporto Internacional Pinto Martins, que será concedido. Para ele, "a concessão é decisiva para a companhia saber com quem vai negociar". Caso o adiamento realmente ocorra - e as chances de Fortaleza fiquem mais evidentes -, a escolha do consórcio ou empresa que deve suceder a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) à frente do Aeroporto de Fortaleza deve ser conhecida entre setembro e agosto deste ano. Outro fator de peso para um possível adiamento da decisão é a crise econômica pela qual passa o País.

No entanto, o secretário de Infraestrutura observou que o hub para o Nordeste faz parte dos projetos globais e estruturais planejados pela Latam e, "do ponto de vista de um projeto de longo prazo, com maturação de 20 anos a 30 anos, as decisões não são tomadas assim" e, por isso, o anúncio da cidade não deve ser adiado mais uma vez.

"Eventualmente, a Latam pode querer saber o que venha a acontecer nos próximos meses (em relação a Fortaleza devido à concessão). Mas nós temos instrumentos que balizam a escolha de forma clara. Possuímos estudos, legislação, ou seja, já temos elementos, tirando esse contexto político atual e que é momentâneo, para que se possa ser tomada a decisão", diz Facó.

Procurada pela reportagem, no entanto, a Latam enviou a mesma nota que repassa à imprensa há seis meses, desde que adiou a data de escolha da cidade: "A Latam Airlines Brasil continua avaliando todas as condições para a definição da capital que abrigará o hub no Nordeste. Esta decisão poderá ocorrer ainda no 1º semestre de 2016".

Crises política e econômica

Com forte influência no campo político, vide o apoio do governo federal até menos de um mês atrás, é evidente que Fortaleza perdeu influência nesse campo de atuação com a saída da presidente Dilma Rousseff e a ascensão do vice Michel Temer. O cenário ainda é agravado quando informações de bastidores dão conta que o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, de Natal, deve influenciar Temer, como fez Camilo Santana, do PT, com Dilma.

Responsável pelo contato mensal com o corpo técnico da Latam, André Facó garante que o tratamento dado a Fortaleza continuou o mesmo após o afastamento da presidente.

O secretário da Infraestrutura afastou a possibilidade de uma influência política ser maior que a competência técnica adquirida pela Capital e se mostrou confiante da escolha.

"Entendemos que, tecnicamente, temos as melhores condições, não só pela localização, mas pela infraestrutura, o processo de concessão (do Aeroporto de Fortaleza) e também a base legal criada, que dá conforto e incentiva a empresa", afirmou.   

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da TV RUSSAS. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. TV RUSSAS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Soundcloud
  • Youtube

©2009 - 2018 TV Russas - Conectando você à informação

www.tvrussas.com.br - Todos os direitos reservados