Previsão do Tempo

RUSSAS

30ºC

NOTÍCIAS / POLÍCIA

Fortaleza-CE: Ex-marido mata amigas ao envenenar a mulher

Óticas Diniz

Diário do Nordeste

14/11/2013

Enviar por e-mail
Imprimir notícia
Foto: Natinho Rodrigues
Foto: Natinho Rodrigues

O servente de pedreiro Francisco Clairton Sá de Almeida, 20, confessou, ontem, ter tentado matar sua ex-mulher colocando veneno de rato em uma ´quentinha´. O plano criminosos, entretanto, teve um desfecho inesperado e trágico. Além de Sara Linda, 21, ex-mulher do acusado, ter se alimentado com a comida envenenada com ´chumbinho´; duas amigas dela também consumiram os alimento. As duas morreram. Sara sobreviveu, mas permanece internada em estado considerado grave.

O crime ocorreu na noite da última quinta-feira (7). O casal havia se separado há 15 dias e o servente de pedreiro não se confirmou com o rompimento da reação. Mesmo assim, todos os dias ele ia deixar comida na casa da ex-companheira, residente na Rua Martins carvalho, no bairro Bom Jardim. Na quinta-feira, o operário decidiu colocar em prática seu plano macabro.

Mortes

Colocou a comida em uma ´quentinha´ e foi até a casa da ex-companheira, onde deixou os alimentos e foi embora. Contudo, Sara tinha recebido a visita de duas amigas, identificadas como Maria Salete Vieira, 32; e Gercina Soares, 74. As três ingeriram a comida envenenada e logo passaram mal, sendo socorrida pelos vizinhos e levadas num ambulância do Samu para o Instituto Doutor José Frota (IJF).

No dia seguinte, Gercina Soares faleceu. Salete ainda sobreviveu até sábado passado (9), mas acabou também morrendo.

Ontem, o servente de pedreiro soube das mortes e de que sua ex-mulher está em estado grave. Ele, então, confessar o crime e se entregar à Polícia. Fez isto no meio da rua. Clairton caminhava pela Avenida 13 de Maio, no bairro de Fátima, quando acenou para uma patrulha do Ronda do Quarteirão. Contou tudo.

Surpresos, os PMs encaminharam o suspeito ao 4º DP (Pio XII), onde, mais uma vez, o operário revelou o caso ao delegado José Munguba Neto, titular da DP.

Contudo, como o crime ocorrera no Bom Jardim, o suspeito foi transferido para o 32º DP e lá, pela terceira vez, confessou o crime, desta vez ao delegado de lá, Rudson Rocha.

Como não havia situação de flagrante nem ordem de judicial de prisão contra o operário, ele foi liberado depois de prestar depoimento. As famílias das vítimas estão revoltadas. Rudson permanece em liberdade.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da TV RUSSAS. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. TV RUSSAS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Soundcloud
  • Youtube

©2009 - 2017 TV Russas - Conectando você à informação

www.tvrussas.com.br - Todos os direitos reservados