Previsão do Tempo

RUSSAS

23ºC

NOTÍCIAS / POLÍCIA

Polícia Federal destrói laboratórios e 'ignora' pés de coca na fronteira com o Peru

Óticas Diniz

Folhapress

29/09/2013

Enviar por e-mail
Imprimir notícia

As plantações de coca no Peru avançam em direção à fronteira com o Amazonas, e a Polícia Federal, no Brasil, mudou sua estratégia. Em vez de derrubar as plantas, o foco agora são os laboratórios de refino de cocaína.

A Operação Trapézio 3, em andamento desde o dia 13 pela Polícia Federal em conjunto com a polícia do país vizinho, já destruiu 24 desses laboratórios próximos ao município de Tabatinga (AM) e apreendeu mais de 70 toneladas de produtos químicos usados na produção da droga.

"Comparando com uma guerra, é melhor destruir as fábricas de munição do que prender soldados. Compensa muito mais", afirma o delegado da PF Mauro Sposito, que coordena a operação.

Segundo a polícia, destruir os laboratórios, que ficavam a cerca de 1 km da fronteira com o Brasil, significa atrasar o trabalho dos traficantes por três ou quatro meses. A meta da PF é destruir ao menos mais 20 desses locais. Cada laboratório produz, em média, 50 km de pasta de cocaína por mês.

Em 2011, a PF realizou a primeira operação Trapézio, cuja meta era a erradicação dos pés de coca. "Erradicamos 90 hectares de coca, mas estimamos que ficaram, de pé, 10 mil hectares", afirma o delegado. "A dificuldade para arrancar as plantas é grande. Além disso, você arranca e eles plantam de novo. Perde-se muito tempo."

Nessa operação de cooperação entre os dois países, a Polícia Federal atua com logística e inteligência. Os brasileiros, desde o início do ano, investigaram e mapearam os pontos de refino de cocaína e repassaram as informações à polícia peruana.

Em solo estrangeiro, os policiais brasileiros somente observam enquanto os peruanos destroem e apreendem o material.

Plantação deu salto de 73% entre 2011 e 2012

Segundo estudo divulgado terça-feira (24) pela Organização das Nações Unidas (ONU), nenhuma região do Peru multiplicou tanto sua produção de coca como na fronteira com o Estado do Amazonas.

Em 2011, eram 1.700 hectares de plantação; no ano passado deu um salto de 73% e chegou a 2.900 hectares. Em relação a 2008, o crescimento da área plantada nessa região é de 471%. A Polícia Federal, porém, estima que esses números sejam modestos.

"Nós calculamos que há mais de 10 mil hectares de plantação de coca na fronteira do Peru com o Brasil", afirma Sposito. "Até 2004 não existia um pé de coca na fronteira. Essa droga não tem outro destino que não seja o Brasil", disse o delegado.

Outra dificuldade, segundo a PF, é a mudança no método de refino da cocaína. "Eles descobriram outro método que dispensa o período de secagem da folha da coca. Agora levam as folhas ainda verdes para fazer o processo, o que agiliza toda a cadeia", afirma Sposito.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da TV RUSSAS. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. TV RUSSAS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
PUBLICIDADE | ANUNCIE

VITRINE

REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Soundcloud
  • Youtube

©2009 - 2017 TV Russas - Conectando você à informação

www.tvrussas.com.br - Todos os direitos reservados