Previsão do Tempo

RUSSAS

25ºC

NOTÍCIAS / CEARÁ

40 cidades prioritárias no CE ainda não se inscreveram no Mais Médicos

Óticas Diniz

O Povo

25/07/2013

Enviar por e-mail
Imprimir notícia

A poucas horas de encerrar o prazo de inscrição na primeira etapa do programa “Mais Médicos”, do Governo Federal, 40 prefeituras do Ceará consideradas prioritárias pelo Ministério da Saúde (MS) ainda não oficializaram interesse de adesão à medida. O balanço foi divulgado no fim da tarde de ontem. As administrações têm até a meia-noite de hoje para inscreverem-se. Segundo o MS, não haverá prorrogação de data e o início da segunda fase ainda não tem previsão de início.

O perfil de beneficiário urgente foi traçado pelo Governo considerando a criticidade de indicadores de vulnerabilidade social. O Ceará é o terceiro estado brasileiro com o maior número de localidades nessa situação (128). Fica atrás apenas da Bahia (264) e do Maranhão (147).

Qualquer prefeitura, no entanto, pode pleitear os recursos financeiros e o envio de médicos previstos no Programa. Das 115 cidades cearenses inscritas até agora, 27 estão fora da lista prioritária do MS - as 88 restantes, portanto, encaixam-se nela. (ver mapa). Em todo o País, 2.552 municípios aderiram ao “Mais Médicos”, sendo 887 (34%) tidos como prioritários.

As 40 administrações prioritárias do Ceará e ainda não inscritas representam um contingente populacional de quase 1,2 milhão de pessoas - o correspondente a 14% dos habitantes do Estado.

Em nota divulgada ontem junto com o balanço parcial, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, enalteceu a importância do programa - contestado pela Associação Médica Brasileira (AMB) em três ações na Justiça e apoiado pela Opas/OMS, braço da Organização Mundial da Saúde para as Américas.

Padilha acredita que a iniciativa resolverá boa parte dos problemas da saúde pública brasileira. “Com esse programa, estamos enfrentando um dos grandes desafios da saúde pública brasileira, que é levar mais médicos para perto da população, especialmente para as regiões onde faltam profissionais. Sabemos que um médico junto da população faz diferença. Além disso, estamos fortalecendo a atenção básica, que é capaz de resolver 80% dos problemas de saúde sem a necessidade de recorrer a um hospital.”

No Ceará, o programa também é criticado por entidades da classe médica, que promoverão paralisações em hospitais públicos e privados nas próximas terça e quarta-feira, 30 e 31.

Somente atendimentos de urgência e emergência serão feitos, conforme o presidente do Sindicato dos Médicos do Estado do Ceará (Simec), José Maria Pontes. “Querem jogar a população contra os médicos dizendo que faltam médicos no país. Mas temos médicos bastante. Médicos que querem fazer concurso público. Nós queremos o aumento do orçamento da saúde pública. Queremos melhorar os hospitais.”

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da TV RUSSAS. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. TV RUSSAS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
PUBLICIDADE | ANUNCIE

VITRINE

REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Soundcloud
  • Youtube

©2009 - 2017 TV Russas - Conectando você à informação

www.tvrussas.com.br - Todos os direitos reservados