Previsão do Tempo

RUSSAS

26ºC

NOTÍCIAS / BRASIL

PF poupou Caixa ao investigar boatos sobre Bolsa Família

Óticas Diniz

Folha.com

24/07/2013

Enviar por e-mail
Imprimir notícia

Apesar de reconhecer que o adiantamento do Bolsa Família feito pela Caixa Econômica Federal foi uma das causas da boataria sobre o programa, a Polícia Federal não investigou de fato as medidas tomadas pelo banco público.

É o que revela o inquérito, já arquivado, que apurou a origem do corre-corre para sacar o benefício em 18 e 19 de maio, gerando tumultos.

Na investigação, a PF nem sequer coletou depoimentos de funcionários da Caixa. O que fez foi só requisitar informações sem, no entanto, checar ou questionar o que foi fornecido pelo banco.

Na semana retrasada, quando a investigação foi concluída, a PF informou que "foram ouvidos 64 gerentes da Caixa nas localidades onde ocorreu o maior volume de saques". O inquérito a que a Folha teve acesso mostra que quem ouviu os funcionários foi a cúpula do banco, que depois repassou à PF por e-mail um resumo das informações supostamente relatadas.

Questionadas, a PF e a Caixa não se pronunciaram até a conclusão desta edição.

A polícia também pediu que a Caixa dissesse se havia feito alguma alteração no calendário de pagamento. O banco respondeu com a mesma versão que só tornou pública após a Folha revelar que o adiantamento ocorreu antes do corre-corre, e não depois, como sustentava.

Segundo a Caixa, uma mudança cadastral afetou parte dos beneficiários. Para evitar problemas quando fossem ao caixa, decidiu-se que todos poderiam sacar a partir do dia 17. A PF não pediu outros documentos nem ouviu ninguém sobre a medida, acerca da qual pairam dúvidas.

Como a Folha revelou, a antecipação ocorreu à revelia do Ministério do Desenvolvimento Social, o que contraria norma federal sobre o Bolsa Família. Na época, o superintendente regional da Caixa no Pará disse que houve um "erro no sistema", sem citar a liberação programada.

O inquérito diz que a maior fatia das 181 pessoas ouvidas pela PF (42%) pegou o dinheiro pois aqueles eram seus dias normais de pagamento. A segunda maior parte (24,3%) sacou pois os valores haviam sido adiantados. Só depois aparecem os boatos. A PF concluiu que não houve crime na onda de boatos.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da TV RUSSAS. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. TV RUSSAS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
PUBLICIDADE | ANUNCIE

VITRINE

REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Soundcloud
  • Youtube

©2009 - 2017 TV Russas - Conectando você à informação

www.tvrussas.com.br - Todos os direitos reservados