Previsão do Tempo

RUSSAS

25ºC

NOTÍCIAS / CIDADE

Triplicam lojas de material de construção em Russas

Óticas Diniz

Ellen freitas/DN

16/05/2013

Enviar por e-mail
Imprimir notícia

Crescimento do segmento foi de 328,5% no município da região jaguaribana na última década e meia

 

Russas. Nos últimos 15 anos, o setor de material de construção demonstrou melhor desempenho no comércio local, segundo dados da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Russas (CDL). Neste período, o número de estabelecimentos mais que triplicou no município. Segundo um dos lojistas, o segredo está em administrar bem o negócio.

 

Impulso no setor tem colaborado para o surgimento de empregos e geração de renda para as famílias que residem e trabalham na região FOTO: ELLEN FREITAS

Segundo o presidente da CDL, Martins Dantas, o setor é um dos que mantêm o bom desempenho dos últimos anos. "Hoje, Russas é uma cidade que está na rota de novos investimentos, seja dos empresários da própria cidade ou de outras regiões. Esse potencial de crescimento tem afetado diretamente o setor da construção civil e representa aumento de vendas para loja de material de construção", afirma.

Dantas explica que o crescimento da cidade causa impacto positivo na renda na geração de empregos, no crescimento do comércio e na melhoria de renda das famílias. Com mais dinheiro circulando dentro da cidade, há uma potencial melhoria na qualidade de vida.

 

Vagas

Ainda sobre empregos, o presidente conta que o município é um dos que mais gera empregos na região. "Só a indústria calçadista gera em torno de 4 mil empregos e a indústria ceramista também emprega nessa faixa. Hoje, muita gente tem condições de reformar suas casas e investir em pequenos imóveis", relata. De acordo com dados da CDL, nos último 15 anos, o número de lojas especializadas em material para construção cresceu 328,5%. "Antes eram cerca de 7 pequenos comércios, hoje estão atuando trinta lojas não somente no centro comercial", destaca Dantas.

O processo de descentralização do setor demonstra, segundo o presidente, o potencial dos bairros em movimentar o comercio local. Ele explica que a maior parte das lojas deste setor estão descentralizadas do centro comercial da cidade e atuam nas periferias, atendendo à população dos bairros e comunidade rurais adjacentes. Com espaços maiores, as novas lojas buscam ofertar todos os materiais para construção, como ferro, cimento, areia, além da parte elétrica, hidráulica e marcenaria. Como exemplo ele cita o Depósito Boa Vista, localizado no bairro de Fátima que atende também a demanda das comunidades de Ingá e Boa Vista, localidades com grande potencial econômico por abrigar indústrias ceramistas.

Há uma expectativa de que os próximos anos a cidade passe por um novo momento de crescimento econômico. "Estamos vivenciando uma expansão imobiliária muito importante, o comércio, em todos os setores, tem diversificado um mix de produtos, procurando atender todas as necessidades dos clientes e a qualidade no atendimento também tem sido superior na última década", comemora Dantas.

Lojas

Uma das lojas mais tradicionais do ramo é a Casa do Construtor, atuante no município há 25 anos. De acordo com a empresária Maria Coutinho, mais conhecida como Lôra, o setor da construção é um dos melhores, porque não acompanha a moda. "Quando nós deixamos de vender algum produto é por alguma determinação. Esse setor acompanha moda, então nossos produtos sempre estão em destaque na prateleira", afirma.

Segundo ela, um dos grandes segredos para se manter no comércio e ir crescendo aos poucos, e com recurso próprio, evitando assim o endividamento junto aos bancos. Desde sua instalação a loja trabalha com produtos para instalação elétrica, hidráulica, cerâmicas, tintas e demais produtos de acabamento de construções. Sete funcionários trabalham no atendimento e são orientados diretamente pelos proprietários. "O atendimento corpo a corpo do dono da loja direto com o cliente faz toda a diferença", destaca Lôra.

De acordo com Izac Coutinho, também proprietário da loja, a indústria ceramista na cidade foi essencial para o crescimento de lojas ligadas à construção civil. "A cidade é grande produtora de telhas e tijolos e atende ao mercado interno com preços mais baratos. Um milheiro de tijolo na cidade você compra por R$ 300, em Fortaleza esse preço vai à R$ 500, por exemplo", diz.

Ritmo bom

A loja tem crescido em média 5% por ano, segundo os proprietários, mesmo com a crise na economia nacional. Izac conta que depois de 1995, houve um período em que foi registrado um crescimento de 50%. De 2008 a 2009, esse crescimento se manteve em 20%.

Segundo observa os empresários, o padrão de comportamento do consumidor mudou nos últimos anos. "Hoje o cliente ele não procura só a qualidade dos produtos e bom atendimento, também temos que oferecer um serviço de entrega rápida e facilidades no pagamento. Nos últimos três anos houve grande crescimento na venda com cartões, que é uma segurança maior para nós e para os clientes", destaca.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da TV RUSSAS. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. TV RUSSAS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
PUBLICIDADE | ANUNCIE

VITRINE

REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Soundcloud
  • Youtube

©2009 - 2017 TV Russas - Conectando você à informação

www.tvrussas.com.br - Todos os direitos reservados