Previsão do Tempo

RUSSAS

33ºC

NOTÍCIAS / POLÍCIA

Acusado de matar e enterrar ex-mulher foi morto a golpes de “cossoco” dentro da cadeia

Óticas Diniz

Site Miséria

25/04/2013

Enviar por e-mail
Imprimir notícia

Um homicídio foi registrado na madrugada desta quarta-feira dentro de uma cela na cadeia pública de Crato. A permanência do jovem Joserlandio Amorim de Brito, de 21 anos, no cárcere não chegou a 20 horas e o mesmo tombou morto após luta corporal. A direção do presídio não passou qualquer informação para a Imprensa se limitando a comunicar o fato à polícia que se encarregou de convocar o rabecão para conduzir o corpo ao Instituto Médico Legal (IML) a fim de ser necropsiado.

Ele é réu confesso no assassinato da ex-mulher Maria Alana Gomes de Lima, de 18 anos, que foi sepultada hoje em Crato. A única informação chegada é que Joserlandio estava em uma cela com outros cinco detentos os quais chegaram a demonstrar revolta pela frieza e brutalidade como o assassinato da garota foi praticado. Pela madrugada, um deles apanhou uma arma artesanal e o conflito começou. A cada tentativa de defesa, a vítima era golpeada e foram sete perfurações de “cossoco”.

O assassinato de Alana Gomes em um imóvel da Rua Professora Adalgisa Gomes de Matos (Parque Recreio), causou grande repercussão em todo o Cariri. Ela foi atraída à casa de Joserlandio para tratar sobre a festa do primeiro ano do filho do casal mesmo já estando separados e a jovem reclamando o atraso de seis meses da pensão alimentícia. Tal conflito já tinha resultado em ameaças de morte contra sua sogra e agressões na ex, ficando preso quatro meses por crime contra a Lei Maria da Penha.

 

No reencontro de segunda-feira, ele praticou sexo com Alana, conforme revelou à polícia, matou a garota asfixiada e ocultou o cadáver sob sua cama antes do retorno de familiares seus ao imóvel. A cabeça dela estava envolta por uma fita adesiva plástica e transformada em uma espécie de múmia além dos pés e mãos amarrados com fios. Na madrugada de ontem, enquanto os parentes dormiam, apanhou uma enxada e jogou o corpo nas costas saindo de casa.

O acusado se dirigiu até uma área de brejo num matagal perto de um campo de futebol e providenciou o enterro em meio à escuridão e o silêncio da madrugada. Barulho apenas da enxada cavando a sepultura de Alana com cerca de um metro de profundidade para, novamente, ocultar o cadáver. Com o desaparecimento da garota, as suspeitas recaíram contra Joserlandio que confessou friamente à polícia todos os detalhes da trama.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da TV RUSSAS. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. TV RUSSAS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
PUBLICIDADE | ANUNCIE

VITRINE

REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Soundcloud
  • Youtube

©2009 - 2017 TV Russas - Conectando você à informação

www.tvrussas.com.br - Todos os direitos reservados