Previsão do Tempo

RUSSAS

25ºC

NOTÍCIAS / NEGÓCIOS

Com lances altos, Petrobras leva 3 blocos do pré-sal e oferece até 80% da produção à União.

Óticas Diniz

g1

28/10/2017

Enviar por e-mail
Imprimir notícia
Governo arrecadou R$ 6,15 bilhões com a venda de 6 blocos dos 8 oferecidos (Foto: Daniel Silveira/G1)
Governo arrecadou R$ 6,15 bilhões com a venda de 6 blocos dos 8 oferecidos (Foto: Daniel Silveira/G1)

O leilão de 8 áreas de exploração do pré-sal registrou ofertas elevadas, especialmente da Petrobras. A estatal levou as três áreas que declarou interesse e aceitou ceder até 80% da produção para a União. Esse percentual é muito acima dos valores mínimos propostos no edital e do valor oferecido no leilão de Libra, em 2013.
Dos 8 blocos ofertados, 6 tiveram proposta. No regime de partilha, que rege o pré-sal, vence a disputa quem oferecer a maior fatia de petróleo ou gás excedente da produção futura para a União. Esse excedente é o volume de petróleo ou gás que resta após a descontar os custos da exploração e investimentos.
Além da produção futura, as empresas terão de pagar um bônus ao governo na assinatura do contrato. A União receberá R$ 6,15 bilhões das concessões vendidas no leilão desta sexta-feira.
Se a licitação fosse feita em regime de concessão, o governo receberia mais dinheiro à vista, mas no futuro só receberia royalties. Nas concessões, o governo não tem direito a parte da produção futura.
Segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP), os investimentos previstos nas áreas vendidas nesta sexta-feira somam R$ 760 milhões.

Ofertas ousadas

Venceu a concessão a empresa que ofereceu o maior volume de óleo excedente à União. Os valores mínimos previstos no edital variam de 10,34% a 22,87%. As empresas ofereceram até 80% da produção.
As ofertas mais ousadas foram feitas pelos consórcios que tinham a Petrobras como líder e que ela tinha manifestado direito de preferência:
80% de óleo excedente pelo bloco de Sapinhoá, que tinha lance mínimo de 10,34%;
76,96% de óleo excedente pelo bloco de Peroba, que tinha lance mínimo de 13,89%;
75,86% de óleo excedente para Alto de Cabo Frio Central; lance mínimo era de 21,38%
Após o leilão, o presidente da estatal, Pedro Parente, disse que lances altos foram para garantir áreas que a empresa queria. “Nós não podíamos nos dar ao luxo de perder essas oportunidades”, argumentou o executivo.
No leilão de Libra, em 2013, única área do pré-sal leiloada até então, o consórcio da Petrobras foi o único a fazer proposta, pelo lance mínimo de 41,65% de óleo excedente.
O diretor-geral da ANP, Decio Oddone, declarou que o alto percentual de excedente em óleo ofertado surpreendeu a agência. "Superou em muito as nossas expectativas", afirmou após a realização do evento.
No Twitter, o presidente Michel Temer comemorou o resultado. Já o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, disse o mercado aceitou o regime de partilha, mas que o governo poderia ter ganhado um bônus maior se o leilão fosse no regime de concessão.

Quem venceu
As empresas estrangeiras ficaram com 3 das 8 áreas do pré-sal vendidas no leilão desta sexta-feira (27). Já o consórcio liderado pela Petrobras, que antes era operadora exclusiva do pré-sal, ficou com 3 áreas. Duas áreas não receberam proposta.
Entre as estrangeiras, a Shell foi a que levou a maior quantidade de áreas. A petroleira anglo-holandesa está em três consórcios vencedores. Já a norueguesa Statoil liderou o consórcio que ficou com a área mais cara e deverá fazer o maior pagamento de bônus (veja abaixo).

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da TV RUSSAS. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. TV RUSSAS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
PUBLICIDADE | ANUNCIE

VITRINE

REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Soundcloud
  • Youtube

©2009 - 2017 TV Russas - Conectando você à informação

www.tvrussas.com.br - Todos os direitos reservados