Previsão do Tempo

RUSSAS

26ºC

NOTÍCIAS / POLÍCIA

Contador é preso suspeito de participar de esquema de lavagem de dinheiro e sonegação de impostos

Óticas Diniz

Diário do Nordeste

06/09/2017

Enviar por e-mail
Imprimir notícia
Segundo a Polícia Civil, Carlos André é contador e responsável por ter administrado empresas que hoje devem mais de R$ 55 milhões ao fisco ( Foto: Divulgação )
Segundo a Polícia Civil, Carlos André é contador e responsável por ter administrado empresas que hoje devem mais de R$ 55 milhões ao fisco ( Foto: Divulgação )

O suspeito responde a quatro procedimentos policiais por crime contra a ordem tributária e a um por estelionato.

Mais um suspeito de integrar a organização criminosa que gerou prejuízo de R$ 300 milhões aos cofres públicos do Estado do Ceará foi preso, na madrugada desta quarta-feira (6), pela Polícia Civil. Carlos André Maia Sousa, 40, foi detido no bairro Mondubim. Outros dois suspeitos, incluindo o líder do esquema, seguem foragidos.

Segundo a Polícia Civil, Carlos André é contador e responsável por ter administrado empresas que hoje devem mais de R$ 55 milhões ao fisco. O suspeito responde a quatro procedimentos policiais por crime contra a ordem tributária e a um por estelionato. 

Além de Carlos André, outros 13 suspeitos foram presos na última sexta-feira (1º), durante a primeira fase da 'Operação Dissimulare'. A Polícia segue à procura do líder da quadrilha, Jovilson Coutinho Ramalho e do contador Francisco José Timbó Farias. 

'Operação Dissimulare' 

A Polícia Civil deflagrou, na última sexta-feira (1º), a Operação Dissimulare, em combate a crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa que eram cometidos no Ceará.

O trabalho ofensivo desestruturou um esquema de compra de mercadoria têxtil com sonegação de impostos, que chegou a refletir em um prejuízo de mais de R$ 300 milhões aos cofres públicos. As investigações iniciaram há pouco mais de um ano e tinham como foco as ações ilícitas de pessoas que compravam produtos do ramo têxtil sem o pagamento dos devidos impostos. De acordo com os levantamentos policiais, estima-se que os suspeitos realizaram uma movimentação financeira que ultrapassa a cifra de R$ 1 bilhão sem o recolhimento de impostos.

Conforme a Polícia Civil, na última semana foram retidos cerca de R$ 155 milhões e 21 veículos, de valores ainda não calculados. Do total, R$ 100 milhões são em tecidos, que seriam comercializados com notas fiscais frias dentro do Ceará. Parte do dinheiro apreendido estava em moeda estrangeira como euro, dólar e peso chileno.

De acordo com a Secretaria da Fazenda (Sefaz), o esquema foi descoberto com a delação de três pessoas, que já haviam integrado a organização. O trio de delatores não foi preso. A Polícia Civil também investiga a participação indireta de comerciantes da Feira da José Avelino onde, conforme as apurações, era comercializada parte da mercadoria irregular.

Na última sexta-feira (1º) foram presos, além de dois auditores da Sefaz, o empresário e presidente do SindConfecções Ceará Marcus Venicius Rocha Silva; os empresários José Orlando Rodrigues de Sena e Antônio Batista da Silva; os operadores do esquema Francisco de Assis Neto; Maria Soraia de Almeida; Suzi Cardoso Lima; Daniel Rocha de Sousa; Bruno Rafael Pereira Carvalho; Mirtes Coutinho Carvalho; Natália de Souza Costa; e Thamara Almada do Nascimento.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da TV RUSSAS. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. TV RUSSAS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
PUBLICIDADE | ANUNCIE

VITRINE

REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Soundcloud
  • Youtube

©2009 - 2017 TV Russas - Conectando você à informação

www.tvrussas.com.br - Todos os direitos reservados