Previsão do Tempo

RUSSAS

25ºC

NOTÍCIAS / LIFESTYLE

Redução de estômago sem corte chega a Fortaleza

Óticas Diniz

Diário do Nordeste

01/08/2017

Enviar por e-mail
Imprimir notícia
De acordo com o Ministério da Saúde, um em cada cinco brasileiros está obeso ( Foto: Divulgação )
De acordo com o Ministério da Saúde, um em cada cinco brasileiros está obeso ( Foto: Divulgação )

Aprovado pela Anvisa, método internacional terá primeiros pacientes a partir de amanhã.

O Hospital São Mateus realizará, nesta quarta-feira (2) os primeiros métodos de Gastroplastia Endoscópica, uma redução de estômago por endoscopia. O Ceará será o primeiro estado do Nordeste a realizar a ação.

O procedimento será conduzido por Helmut Poti com supervisão de Manoel Galvão Neto, responsável por implantar a técnica no mundo, e realizado por um aparelho acoplado ao endoscópio e dispensa a necessidade de cortes com duração entre 40 e 50 minutos.

A operação é menos invasiva e mais rápida, quando comparada à cirurgia bariátrica, e reduz o tempo de recuperação do paciente, que é liberado em pouco mais de uma hora após o procedimento. 

De acordo com Poti, essa técnica foi criada há quatro anos, porém, apenas em dezembro de 2016 houve a liberação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Segundo ele, o Ceará será pioneiro no Norte-Nordeste. Atualmente apenas Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo realizaram este procedimento no Brasil. 

"Até o momento, o resultado com esses primeiros pacientes foram mais que satisfatórios. Alguns deles, conseguiram voltar ao trabalho após dois dias de realização da redução", ressalta.

Nesta inovação, o risco de deficiência de absorção de nutrientes é quase nulo, pois é um método restritivo que não interfere diretamente na absorção.

São poucas contraindicações. A recomendação é a partir de 12 anos com autorização dos pais, com maior precisão para níveis de obesidade grau I e II.

Os planos de saúde ainda não realizam o método que é feito de forma particular.

Obesidade

De acordo com o Ministério da Saúde, um em cada cinco brasileiros está obeso. Fortaleza ocupa o sexto maior índice nacional, tendo 56,5% da população com sobrepeso.

"A obesidade é uma doença progressiva, incurável e crônica. Sem cura, mas com controle. É válido lembrar que apenas a cirurgia não vai resolver a doença. É um processo multidisciplinar, que anda de mãos dadas com uma boa alimentação e outras indicações médicas", declara o médico.

Ele ainda enfatiza que hoje, a obesidade é considerada até, a doença do século. “Ela pode gerar problemas cardiovasculares, renais, hepáticos, articulares, psicológicas, entre outros", explica.

O levantamento ainda apontou que a população obesa no Brasil passou de 11,8%, em 2006, para 18,9% em 2016. E o excesso de peso também cresceu 26,3%. 

Em 2006, 42,6% dos entrevistados foram considerados com excesso de peso. No ano passado, esse índice foi de 53,8%.

O cálculo da obesidade e o excesso de peso é feito a partir do Índice de Massa Corporal (IMC), que divide o peso pela altura ao quadrado do indivíduo. Índices iguais ou maiores que 25 são considerados como excesso de peso e maiores de 30 kg/m2, obesidade.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da TV RUSSAS. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. TV RUSSAS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
PUBLICIDADE | ANUNCIE

VITRINE

REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Soundcloud
  • Youtube

©2009 - 2017 TV Russas - Conectando você à informação

www.tvrussas.com.br - Todos os direitos reservados