Previsão do Tempo

RUSSAS

33ºC

COLUNISTAS / HILDEBERTO AQUINO

Reforma da previdência - alternativas

Óticas Diniz

Hildeberto Aquino

06/01/2017

Enviar por e-mail
Imprimir notícia

É preciso ter consciência de que em todas as propostas governamentais são constatados inúmeros tópicos que mesmo inconcebíveis do ponto de vista técnico-jurídico, ainda assim são inseridos propositalmente. Se contestados e descartados em nada mudarão o proposito real da intenção final das proposições. Outros itens são intermediários, que negociáveis, e podem ser amenizados, aprimorados ou até mesmo descartados. E há os que são irrecorríveis e que só serão rejeitados se o projeto integral for indeferido de inteiro teor e arquivado.  No caso específico da Previdência, urge, impõe-se, é condição "Sine Qua Non" que se faça primeiro uma AUDITORIA PROFUNDA, realista, transparente, objetivando constatar se ela é superavitária ou não. Sem isso, tudo é especulação e manobra politiqueira.

Que também não nos iludamos com certas instituições que somente quando acalorado o debate elas se apresentam oportunisticamente, como "salvadoras da pátria" e avocam o título de "protetoras" dos trabalhadores – Sindicatos, por exemplo. Não é só contestar! Há realmente a necessidade de AJUSTES, não necessariamente profundos, reformas que com o intuito apenas de exigir ainda mais de quem justamente mantém a Previdência na expectativa justa e legal de usufruir pelo que pagou no tempo certo. O IDEAL seria 60 anos de idade para ambos os sexos e 40 de contribuição, com a garantia de não haver novas mudanças futuras, em função de alguns fatores como expectativa de vida (facilmente manipuláveis pelas instituições governamentais) etc., já seria uma melhor alternativa para o que ai está posto. Admitir-se-ia a proporcionalidade tão somente em função do tempo de contribuição e após pagos 35 anos.

Por que instituições religiosas, times de futebol, o agronegócios etc., não contribuem para a Previdência? Almejemos para que o trabalhador não pague com exclusividade o ônus de alterações administrativas inconsequentes.

A Previdência precisa ter ESTABILIDADE nas suas contas sim!, e os contribuintes a certeza de que terão ASSEGURADOS SEUS DIREITOS, sim!

Hildeberto Aquino

Nascido em Crato (CE). Formação: Língua Portuguesa e pós-graduado em Gestão Escolar. Ex-funcionário do Banco do Brasil, 1972/1997, assumiu em Russas em 1982. Corretor de Imóveis. Articulista (crônicas e poesias). Meu lema: "Indigne-se por você e por todos contra as injustiças, quais forem. Clame, exija, exerça a sua cidadania e não seja mais um abmudo!" José HILDEBERTO Jamacaru de AQUINO

Hildeberto Aquino

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da TV RUSSAS. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. TV RUSSAS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
PUBLICIDADE | ANUNCIE

VITRINE

REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Soundcloud
  • Youtube

©2009 - 2017 TV Russas - Conectando você à informação

www.tvrussas.com.br - Todos os direitos reservados