Previsão do Tempo

RUSSAS

35ºC

COLUNISTAS / HILDEBERTO AQUINO

Educação russana, a verdade

Óticas Diniz

Hildeberto Aquino

05/06/2013

Enviar por e-mail
Imprimir notícia

Do agradabilíssimo convívio com os colegas de faculdade e também do período de pós graduação (quase seis anos no total), sendo todos os companheiros afetos a área de Educação - entre eles alguns competentes integrantes da respectiva secretaria e a outra parte constituída de membros do corpo docente das nossas escolas públicas – familiarizamo-nos com alguns dos procedimentos da área educacional, mesmo porque é a nossa formação acadêmica, a possível. Também nos habituamos com os sistemáticos elogios à educação russana. Prêmios eram sempre comentados e com destaque pela imprensa local, de todas as tendências. Escola tal foi agraciada com essa e aquela honraria em razão do seu elevado desempenho etc. E daí decorriam os enaltecimentos aos diretores e corpo docente – esses sim!, sempre dignos merecedores da honraria, não restam dúvidas. E isto, em especial para quem lida com o assunto, é motivo de orgulho, justíssimo orgulho. A Educação, se bem conduzida, é a chave que abre as portas de todas profissões e educar é a mais digna das profissões. A essa conjuntura nos acostumamos e qualquer assunto pertinente nos desperta a curiosidade, mesmo sem sermos expert na área educacional, especialmente por não termos vivência prática nessa atividade já que nunca ministramos aulas.

 

 

Foi quando em uma dessas indiscrições nossa que casualmente acessamos o site http://educarparacrescer.abril.com.br/nota-da-escola/ Lá está: “QUAL A NOTA DA ESCOLA DO SEU FILHO?” Consta ainda a subdivisão que vai de 1º. ao 5º. ano e do 6º. ao 9º. ano. Análise que abrange todo Brasil e que classifica como Escola de Qualidade aquelas que atingem a nota 6 (SEIS) em uma escala de 1 a 10. Qual foi a nossa surpresa, digo até relativa decepção, ao constatar a desagradável REALIDADE; a realidade das escolas públicas russanas. Pasmem: Apenas uma alcançou 6,2 (Margarida Maria Martins (foto), dirigida pela competente diretora Sulamita e sua dedicada equipe). As demais das constantes da lista, não atingiram a nota ideal, pelo contrário, há notas baixíssimas, até 3. A absoluta maioria ficou entre 3, 4 e 5.

O IDEB – Índice de Desenvolvimento  da Educação é um indicador do MEC para medir a qualidade do ensino nos municípios, nos estados e nas escolas públicas do Brasil. Essa apuração é feita a cada dois anos. A meta estabelecida é que todas obtenham nota igual ou superior a 6 até 2022. Será?

 

 

Com quem então está a verdade? Não basta afirmar que esse ou aquele administrador do município ou secretário fizeram ou fazem isso e aquilo pela Educação. Os resultados são preocupantes e exprimem uma realidade adversa contra a qual a sociedade russana precisa reagir. Remunerar relativamente bem ao pagar o piso salarial aos professores é de obrigação, não é mérito algum posto que é apenas o dar cumprimento à Lei, sem favores! (É que estamos tão mal acostumados com migalhas que mesmo aquilo a que temos direito, constitucionalmente ou estabelecido em lei federal, quando nos concedem ficamos agradecidos e exaltamos imerecidamente os políticos ou responsáveis que assim lamentavelmente procedem.)

 

 

É hora de acordar, dignar-se e indignar-se contra os desvirtuamentos e abusos, deixar de baixar a cabeça e lutar pelos seus direitos e dos seus filhos assegurados na Constituição. Não precisamos ser uma Finlândia (país número 1 no mundo em Educação), porém é hora de, unidos, tentar resolver essa indesejável situação repensando a Educação russana objetivamente e já. Entre outras providências, por exemplo, que não sejam promovidos, a qualquer custo, os que não têm mérito e apenas para atingir estatísticas, como tem sido a cobrança junto aos nossos educadores. Isto é um crime com consequências seríssimas para os jovens em futuro próximo. Eles não estarão capacitados para enfrentar a concorrência cada vez mais acirrada onde só os mais capacitados logram êxito e melhor se colocam.

 

Eduquemos com qualidade, pois é a mais nobre missão dos que envolvidos nessa área, o maior legado aos jovens cidadãos.

Hildeberto Aquino

Nascido em Crato (CE). Formação: Língua Portuguesa e pós-graduado em Gestão Escolar. Ex-funcionário do Banco do Brasil, 1972/1997, assumiu em Russas em 1982. Corretor de Imóveis. Articulista (crônicas e poesias). Meu lema: "Indigne-se por você e por todos contra as injustiças, quais forem. Clame, exija, exerça a sua cidadania e não seja mais um abmudo!" José HILDEBERTO Jamacaru de AQUINO

Hildeberto Aquino

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da TV RUSSAS. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. TV RUSSAS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
PUBLICIDADE | ANUNCIE

VITRINE

REDES SOCIAIS

  • Facebook
  • Twitter
  • Soundcloud
  • Youtube

©2009 - 2017 TV Russas - Conectando você à informação

www.tvrussas.com.br - Todos os direitos reservados